domingo, 27 de setembro de 2009

CORDELISTA DA NAÇÃO PLANETA POETA J.FERREIRA


No cordel J.Ferreira
Narra à vida na roça
Tempo doce que adoça
A vida corriqueira
Da nação brasileira
Na volta ao passado
Pra viver conformado
Na estadia do seu avô
Hoje lembrado com amor
Na poesia ele é aclamado.

O grande agricultor
Por Deus foi exaltado
Pelo neto adorado
Cultivou a terra com amor
Com o gás do beija-flor
Hoje é vida na poesia
Na rima de sua alegria
Seu neto J.Ferreira
Faz cordel de primeira
Da roça herdou a magia.

Do pomar conhecedor
Caipira muito amado
No seu verso rimado
É um poeta sonhador
Pássaro alado voador
Pela roça tem paixão
No meio da plantação
Menino fazendeiro
Príncipe brasileiro
Escreve com coração.

Cordelista meu irmão
Esta é sua homenagem
Na poesia bela viagem
Cordel é nossa paixão
Escrevo com dedicação
Pra toda minha gente
Deixo aqui seu presente
Vivente do paraíso
Em ti ficou o sorriso
Do menino inocente.

bel TSalviano

CORDELISTA DA NAÇÃO PLANETA POETA JERSON BRITO


No planeta tem cordel
Repentista e violeiro
Na poesia o brasileiro
Um grande amigo fiel
Na cantoria é menestrel
Pra mulher faz seu louvor
O legitimo sonhador
Escreve com o coração
Cordelista da nação
Jerson Brito é professor

Seus cordéis na historia
Senador ou deputado
Cara de pau é deletado
O poeta tem memória
Defende nossa pátria
De político mal feitor
Como o povo semte dor
Com essa tal corrupção
Cordelista da nação
Jerson Brito é professor.

Um amigo verdadeiro
Retrata sua natureza
Com toda a beleza
No cordel é um guerreiro
No sertão é arqueiro
Recitando seus versos é ator
Com alegria e muito fervor
A poesia é a maior paixão
Cordelista da nação
Jerson Brito é professor.

Eis minha homenagem
Ao poeta inteligente
Canta pra toda gente
De Rondônia o poeta vem
Tem humildade também
Não sabe guardar rancor
Tudo resolve com amor
No cordel me da lição
Cordelista da nação
Jerson Brito é professor.

CORDELISTA DA NAÇÃO PLANETA POETA HELIODORO MORAIS


Poeta Heliodoro Morais
Na homenagem o cordel
Agradeço ao menestrel
Com versos especiais
Da matuta do sertão
Cordel é a maior paixão
Do homem nordestino
No seu sangue o destino
Cantar poesia com emoção.

Do interior pra capital
Canta a sua natureza
Do lar toda beleza
Na sua terra Natal
Heliodoro no reinado
Compõe apaixonado
As riquezas do Brasil
Pra um povo tão gentil
Seu cordel é dedicado.

Grande é sua inspiração
Cada tema bem rimado
No cordel és aclamado
Canta cinderela e Lampião
Escreve amor e paixão
No palco eu te vejo
Nos contos sertanejos
Dos poetas cantadores
Nas lembranças dos amores
Sucesso eu ti desejo.

Pra voce Heliodoro
Dedico minha poesia
Nos laços da harmonia
De alegria também choro
Quando o cordel eu decoro
Pra no palco apresentar
E a platéia então cantar
Com o poeta de Natal
Compositor não tem idade
Cantas como um sabiá

CORDELISTA DA NAÇÃO PLANETA POETA LUIZ ESPERANTIVO



MINHA HOMENAGEM AOS CORDELISTAS DA NAÇÃO PLANETA POETA


CORDELISTA DA NAÇÃO ESPERANTIVO

Amigo Esperantivo
Vim aqui para agradecer
Meu livreto de poesias
Lançado pro povo ler
Obrigado grande poeta
Cordelista em alerta
Pra natureza não morrer.

Poeta naturalista
Cuida do mangue com amor
Nos versos da natureza
Canta desmatação e dor
A floresta destruída
Sua alma tão ferida
Do homem devastador.

Poeta bravo guerreiro
Cordelista por paixão
Herdou do seu avô o dom
Escreve com o coração
Tem a sua experiência
Conhece toda a ciência
Canta a poesia do sertão.

O menino pobre cresceu
Hoje é um belo rapaz
Com a vida amadureceu
No cordel escreve a paz
Pede ajuda a natureza
Pra não acabar a beleza
Das florestas tropicais.

Cordelista da nação
Nordestino da gema
Para o mundo da fama
Escreve qualquer tema
Sem fugir do desafio
Rima até com assovio
No grito da seriema.

É de Ponte dos Carvalhos
Esse poeta brilhante
Luiz Esperantivo
Do sertão é retirante
Pra viver na capital
No palco do recital
Sua alegria é radiante.

Por Deus fui abençoada
Tenho o maior presente
A amizade verdadeira
De um grande vivente
O poeta Esperantivo
Não dispensa serviço
É um homem decente.

Muito obrigado poeta
Seu apoio engrandece
Reconhecer o dom alheio
Peço a Deus faço prece
Pelo poeta meu irmão
Humano de coração
Minha alma agradece.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Pernambuco minha terra natal


Eu sou do nordeste
de Pernambuco, do sertão
terra de cabra da peste
de Maria bonita e Lampião
Eu sou a luz do luar
o fogo corrredor
a luz da serra
eu sou a mulher rendeira
eu sou vaqueira
matuta
eu sou da roça
da vida sertaneja.
Eu sou o aboio do vagueiro
a cantoria do seresteiro
eu sou a saudade do coração
do poeta solitário
que escreve as riquezas do sertão!
eu sou bel
a poetiza que canto no seu canto
cada canto que encanta
o retirante que vive longe do seu torrão.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

MULHER E NATUREZA


Um dia sozinha ao mar
a alma triste sofrida
uma vida repartida
sem um príncipe pra amar
vive na terra a chorar
mas Jesus lhe a trouxe luz
que do seu olhar reluz
O amor no coração
não confunda com a paixão
Amor e luz vim doar.

Eu já vi gente chorando
sozinha na solidão
escrevendo sem emoção
a alma no céu vagando
E o coração pensando
a ilusão sentindo dor
com saudade de um amor
que o destino separou
numa vida que passou
e hoje é um sofredor.

Procura aqui ou acolá
vai ao sopro do vento
na vida sem acalento
Ave sem poder voar
longe do seu habitar
no penar de uma saudade
busca a sua verdade
de ser só e mal amada
e nesta lei não é nada
É fantasma na cidade.

Seu combustível é amor
vive no mundo a sonhar
beija-flor, beijar no ar
o néctar que tem sabor
pra esquecer tanta dor
a mistura do pecado
e do verbo do passado
penetra vida no ser
e o amor faz renascer
no homem apaixonado.

domingo, 5 de julho de 2009

MULHER E NATUREZA

No ventre da natureza
gerou minha emoçao
no mundo da poesia
deixei meu coraão.

Sou fonte a desaguar
nas correntezas dos amor
sou rosa desabrochando
no infinito da dor.

Sou gaivota voando
em sua direção
estrela no céu perdida
sem uma constelação.

MULHER E NATUREZA
NO MANTO DA POESIA
o beijo de despedida
nos braços da alegria.